Banner

Reorganizada, Cultura se espalha pelos bairros

A Fundação Cultural de Curitiba (FCC) encerra 2017 demonstrando grande capacidade de reorganização. Os seus 75 espaços culturais tiveram uma programação permanente, contabilizando em um ano quase 7 mil ações e mais de 1,8 milhão de atendimentos.

De todas as ações realizadas, mais de 60% atenderam a população dos bairros. Atuando em todas as frentes – descentralizando a cultura na cidade, valorizando os artistas e fomentando a produção cultural – a FCC construiu as bases para 2018. Mais 10 novos editais do Fundo serão lançados no início do próximo ano, no valor total de R$ 3,2 milhões.

“O ano de 2017 foi de recomeço também na área da Cultura. Conseguimos avançar e levar oportunidades culturais para os bairros da cidade. Em 2018 teremos uma cidade ainda mais vibrante culturalmente”, disse o presidente da FCC, Marcelo Cattani.

O calendário começa com a 35ª Oficina de Música de Curitiba, com a realização simultânea das fases de música erudita e Música Popular Brasileira. Depois vem o Carnaval, que já tem confirmadas as atrações pré-carnavalescas com o bloco Garibaldis e Sacis, o Zombie Walk e o Psycho Carnival. As obras do Cine Passeio estão em fase final e a previsão é entregar esse novo complexo cultural da cidade ainda no primeiro trimestre de 2018. 

 

A cultura vai até os bairros
Com o objetivo de descentralizar a cultura e garantir oportunidades a todos os cidadãos, foram lançados novos programas, como o MusicaR, de musicalização infantil, e o Vivências e Convivências 60+, voltado aos idosos.

O programa MusicaR nasceu da proposta de levar as ações de formação musical do Conservatório de MPB para os bairros, com a oferta de cursos integrados de musicalização para crianças e adolescentes no contraturno escolar. O MusicaR foi lançado nas regionais Cajuru e Tatuquara. Em 2018, o programa será levado às demais regionais da cidade.

O estudante Gabriel Henrique, da Escola Municipal Prefeito Osmar Sabbag, teve interesse pelo curso porque deseja ter uma banda. “Nunca tinha feito aula de música, mas já estou aprendendo a controlar minha voz. Como quero ter minha banda, sei que esse conhecimento será utilizado no meu futuro”.

O Pavilhão Étnico e o Domingo de Bolso também foram novidades desenvolvidas ao longo de 2017. Ambos buscam melhorar a qualidade de vida e promover a animação do setor histórico.

O Pavilhão Étnico nasceu para dar visibilidade às etnias que formam o povo curitibano, com apresentações de dança e música, manifestações folclóricas, artes e comidas típicas. Todos os domingos, os grupos se revezam no palco do Memorial de Curitiba, no São Francisco, revelando as tradições de todos os povos, raças e países que aqui estão representados.

Ao longo de 2017 foram 30 apresentações no Pavilhão Étnico, com participação de 60 grupos folclóricos e público de 25.201 pessoas.

China em destaque
Com a meta de promover uma programação cultural diversificada, a Fundação Cultural manteve a agenda de concertos dos seus grupos artísticos e garantiu o apoio às iniciativas culturais, alinhando-se como importante parceira na realização de grandes eventos como a Bienal de Curitiba.

A cidade ganhou o Largo da China com a estátua de Confúcio, doada pelo governo chinês. A obra foi um presente para a cidade, já que a China foi o país homenageado nesta edição da Bienal de Curitiba.

Investimentos
Os investimentos em cultura foram retomados. Foram lançados três novos editais do Fundo Municipal da Cultura no valor de R$ 2,8 milhões para a programação do Teatro do Paiol, para a produção audiovisual e para as escolas de samba de Curitiba, que receberam antecipadamente a verba do desfile e agora podem preparar melhor o Carnaval de 2018.

Além disso, o incentivo fiscal da Prefeitura permitiu a captação de R$ 12,8 milhões para projetos aprovados em editais do Mecenato Subsidiado.

Centro Cultural Casa Kozák
A casa onde viveu o documentarista tcheco Vladimir Kozák foi reaberta no final de outubro como Casa da Leitura e Centro Cultural. Como parte do Programa Curitiba Lê, a Casa da Leitura Vladimir Kozák faz empréstimos de livros e oferece um acervo especializado em literatura e artes.

A unidade, que funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, também oferece cursos livres nas áreas de artes visuais (pintura em tela) e música (violão).

A aeroviária Jennifer Hau e o filho, Henrique Piza, de oito anos, desfrutam da nova programação da Casa Kozák. Para Jennifer, a nova proposta da Casa é importante para que o filho conheça novos autores. “A gente gostou muito da contação de história e de saber que temos mais uma Casa da Leitura próxima da nossa casa, aqui na região”, afirmou.

A FCC em números

Cultura por toda parte

6.967 ações culturais em toda a cidade

1.871.400 participações em ações promovidas pela Fundação Cultural de Curitiba

4.390 atividades realizadas nos bairros de Curitiba, com 1.222.342 participações

2.577 atividades culturais realizadas no centro da cidade, com 649.058 participações

Artes visuais

244.438 visitantes em exposições de artes visuais nos museus e espaços culturais da FCC

Obras

Início da reforma do Teatro do Paiol com obras de acessibilidade, adequações às normas de segurança exibidas pelo Corpo de Bombeiros e reforma do telhado

Investimentos

Lançamento dos Editais Paiol Musical, Carnaval 2018 e do Audiovisual com recursos do Fundo Municipal da Cultura no valor total de R$ 2.800.000,00

R$ 12,8 milhões captados via incentivo fiscal por projetos já aprovados em editais anteriores do Mecenato

Banner

Redes Sociais

  • Facebook: CentroCivico/
  • Twitter: @centro_civico

Visitantes

Nós temos 43 visitantes online
Visualizações : 1003541

Cadastro



Pesquisar

Banner
Banner

Edição/Dezembro/2017