A ansiedade parece ser um mau que afeta a muitos nesse inicio de século. Ela se apresenta de diversas maneiras e quase sempre é de alguma forma prejudicial a nossa saúde.

Ela pode aparecer como uma irritação, uma inquietude, uma aceleração de pensamentos, como algo que lhe tira o sono e outros diversos sintomas desagradáveis.

O importante é saber que existem tratamentos eficazes e naturais para tratar a ansiedade. Como é sempre bom conhecermos um pouco do assunto, apresento o texto abaixo, lembrando que, mesmo que você se identifique com esse ou aquele sintoma apresentado neste texto, isso não quer dizer que você apresente a patologia.

OS TRANSTORNOS DE ANSIEDADE

Os principais Transtornos de Ansiedade são: Síndrome do Pânico, Fobia Específica, Fobia Social, Estresse Pós-Traumático, Transtorno Obsessivo-Compulsivo e Distúrbio de Ansiedade Generalizada.

Todos têm a ansiedade como manifestação principal. Ansiedade é um estado emocional de apreensão, uma expectativa de que algo ruim aconteça, acompanhado por várias reações físicas e mentais desconfortáveis.

É comum que haja sobreposição de sintomas e assim uma pessoa pode apresentar sintomas de mais de um tipo de transtorno de ansiedade ao mesmo tempo.

No geral, os transtornos de ansiedade respondem muito bem ao tratamento psicológico.

Saiba um pouco sobre cada um destes Transtornos de Ansiedade:

Estresse Pós Traumático:

Estado ansioso com expectativa recorrente de reviver uma experiência que tenha sido muito traumática. Por exemplo, depois de ter sido assaltado, ficar com medo de que ocorra de novo, ter medo de sair na rua, ter pesadelos, etc. Geralmente após um evento traumático a ansiedade diminui logo no primeiro mês sem maiores consequências. Porém, em alguns casos, os sintomas persistem por mais tempo ou mesmo aparecem só depois de um tempo, levando a um estado denominado como Estresse Pós Traumático.

Distúrbio de Ansiedade Generalizada:

Estado de ansiedade e preocupação excessiva sobre diversas coisas da vida. Este estado aparece frequentemente e se acompanha de alguns dos seguintes sintomas: irritabilidade, dificuldade em concentrar-se, inquietação, fadiga e humor deprimido.

Síndrome do Pânico:

A Síndrome do Pânico é caracterizada pela ocorrência de freqüentes e inesperados ataques de pânico. Os ataques de pânico, ou crises, consistem em períodos de intensa ansiedade e são acompanhados de alguns sintomas específicos como taquicardia, perda do foco visual, dificuldade de respirar, sensação da falta de realidade, etc.

Fobia Simples:

Medo irracional relacionada a um objeto ou situação específico. Na presença do estímulo fóbico a pessoa apresenta uma forte reação de ansiedade, podendo chegar a ter um ataque de pânico. Por exemplo a pessoa pode ter fobia de sangue, de animais, de altura, de elevador, de lugares fechados ou abertos, fobia de dirigir, etc. Há muitas formas possíveis de fobia, visto que o estímulo fóbico assume um lugar substituto para os reais motivos de ansiedade da pessoa. O motivo original vai ser descoberto na terapia.

Fobia Social:

Ansiedade intensa e persistente relacionada a uma situação social. Pode aparecer ligado a situações de desempenho em público ou em situações de interação social. A pessoa pode temer, por exemplo, que os outros percebam seu “nervosismo” pelo seu tremor, suor, rubor na face, alteração da voz, etc. Pode levar à evitação de situações sociais e um certo sofrimento antecipado. A pessoa pode também, por exemplo, evitar comer, beber ou escrever em público com medo de que percebam o tremor em suas mãos.

Transtorno Obsessivo-Compulsivo:

Estado em que se apresentam obsessões ou compulsões repetidamente, causando grande sofrimento à pessoa. Obsessões são pensamentos, idéias ou imagens que invadem a consciência da pessoa. Há vários exemplos como dúvidas que sempre retornam (se fechou o gás, se fechou a porta, etc.), fantasias de querer fazer algo que considera errado (machucar alguém, xingar, etc.), entre vários outros.

As compulsões são atos repetitivos que tem como função tentar aliviar a ansiedade trazida pelas obsessões. Assim, a pessoa pode lavar a mão muitas vezes para tentar aliviar uma idéia recorrente de que está sujo, ou verificar muitas vezes se uma porta está fechada, fazer contas para afastar algum pensamento, arrumar as coisas, repetir atos, etc.

Uma nota para Reflexão:

O que é normal e o que não é normal em nossa vida mental?

É importante notar que todos nós apresentamos alguns comportamentos “estranhos” uma vez ou outra. A vida psicológica normal é cheia de estados emocionais variados, de transições e crises. Todos nós temos alguns medos ilógicos, algumas idéias intrusas em nossa consciência e diversos estados mais intensos de ansiedade.

O que caracteriza um estado como patológico é quando estas situações dominam a nossa vida mental , quando os estados que nos causam sofrimento emocional (ansiedade, desânimo, etc.) passam a ocupar o primeiro plano em nossas vidas e nos impedem de viver outras experiências.

Nestas situações necessitamos de ajuda. A ajuda psicológica nos ajuda a sair destes estados de paralisia, a transformar nossas vidas e assim, a construir uma vida mais plena.

PSICOTERAPIA E ACUPUNTURA AURICULAR EM INTERAÇÃO CHEGAM A DIMINUIR 80% DOS CASOS DE ANSIEDADE!

www.remerterapias.com.br

www.acontececuritiba.com.br

Rafael Leitoles Remer – Psicólogo

CRP:08/09332 – Auriculoterapeuta