Sempre que penso em gestão pública, lembro-me do meu avô. Não de suas obras ou conquistas do passado, que foram muitas, mas do seu jeito de pensar sempre à frente do seu tempo. Ele mostrou que o desenvolvimento passa por transformações que muitas vezes assustam as pessoas que estão engessadas em sistemas antigos e que a ousadia e diálogo são ferramentas essenciais para superar adversidades.

Vivemos ainda as graves consequências da pior crise econômica da história do Brasil, que atinge diretamente as administrações municipais. Dessa forma, é cada vez mais relevante aplicar metodologias que fujam do padrão público tradicional, com propostas que atendam as realidades de cada região e sejam atraentes para a população, iniciativa privada e terceiro setor.

Isso exige ao representante público estar sempre próximo das comunidades para conhecer suas demandas e vocações, que irão orientar um planejamento eficiente para economizar recursos, estimular parcerias e executar políticas que promovam, efetivamente, a melhoria da qualidade de vida e o desenvolvimento estrutural e econômico.

Foi com esse objetivo que aceitei o convite do prefeito Rafael Greca para assumir a Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude de Curitiba. Nesse período tive o privilégio de trabalhar com uma equipe qualificada e dedicada, que acreditou e ajudou a construir uma gestão inovadora que em pouco tempo trouxe grandes avanços ao município.

Fortalecemos a intersetorialidade com outras pastas, com destaque para o trabalho com a Secretaria Municipal da Educação no desenvolvimento do programa Escola+Esporte=10 (EE10), que ampliou em 62% o número de vagas para crianças e adolescentes nas atividades esportivas de contraturno escolar. Também formalizamos parcerias com a iniciativa privada, federações, clubes e entidades, permitindo criar novas turmas para atividades sistemáticas e promover ações como a Virada Esportiva, que se tornou o maior evento esportivo da história de Curitiba.

Outros destaques ficam com a ampliação em 29% do número de vagas para atividades com idosos, a retomada das Audiências Públicas Jovens, o aumento do número de atletas e entidades com projetos de iniciação esportiva e alto rendimento beneficiados pela Lei Municipal de Incentivo ao Esporte. Em março criamos o Lazer no Clube, que pela primeira vez abriu as piscinas públicas para atividades e convívio familiar nos finais de semana.

Foram diversas conquistas que nos encheram de orgulho e que ampliaram os horizontes em relação ao potencial de construção e transformação do poder público. É sempre difícil saber o momento certo de mudar, especialmente quando gostamos do ambiente e área que trabalhamos, mas aceitei o desafio de levar essas experiências de sucesso para diferentes municípios por acreditar que chegou à hora de trilhar novos caminhos que venham a contribuir para o desenvolvimento do Paraná. Assim, no dia 6 de abril, irei me desincompatibilizar da secretaria e voltarei a promover encontros, ações, ciclos de debates e palestras em todo o estado por meio do Instituto Teotônio Vilela.

Agradeço a todos que, com sua dedicação, histórias e ideias me ajudaram a ampliar o trabalho na área de esporte, lazer e juventude em Curitiba. Tenho certeza que novos projetos irão surgir e permitir que possamos continuar atuando juntos na construção de políticas públicas que resultem em melhores condições e oportunidades para todos.

Marcello Richa

Marcello Richa é presidente do Instituto Teotônio Vilela do Paraná (ITV-PR)