Quando foi a ultima vez que você aferiu a sua pressão? Caso não lembre, ou nunca tenha efetuado este exame, fique atento você pode estar convivendo diariamente com um vilão perigoso e mortal. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 300 mil brasileiros morrem todos os anos por causa de doenças relacionadas direta ou indiretamente com a pressão alta. As principais doenças podem ser: Acidente Vascular Cerebral (AVC), Insuficiência Renal, Hipertrofia e Insuficiência Cardíaca. Infelizmente, até o final da sua leitura provavelmente 1 brasileiro tenha morrido por causa da pressão alta. Por este motivo, é importante a sua compreensão do que é a pressão alta e os seus riscos associados.

Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a hipertensão arterial é uma  doença crônica que pode ocasionar o aumento  da pressão sangüínea nas paredes das artérias, este aumento da pressão gera uma sobrecarga no coração. Ainda segundo a SBH, um dos fatores que podem provocar a hipertensão arterial é o desequilíbrio hormonal das glândulas suprarenais responsáveis pela produção de hormônios que controlam  a  vasodilatação ou vasoconstrição das artérias, sendo este estes hormônios um mecanismo natural de controle da pressão arterial.

Você ficou meio confuso com esta definição?Vamos dar uma simplificada. O coração quando bombeia o sangue pelas artérias sofre uma resistência nas paredes dos vasos, esta resistência acaba afetando o fluxo sanguíneo arterial para os músculos e órgãos, por causa desta interferência o coração tem a necessidade de aumentar a sua carga de esforço de trabalho para suprir a demanda de sangue para o corpo, este aumento na carga no coração podem desencadear diversas doenças cardíacas e renais como citadas anteriormente.

Para a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), a pressão arterial considerada normal gira entorno de 120/80mmHg para homens e mulheres, pressões acima de 140/90mmHg já são consideradas de risco e necessitam de atenção e tratamento médico. Ainda segundo a SBC, existem diversos fatores que podem ocasionar a hipertensão, podendo ser internos (Hereditariedade, Etnia, Idade) ou externos (Tabagismo, alimentação inadequada, Sal em excesso, obesidade, sedentarismo). Se você possui alguns destes fatores de risco, tome cuidado pois você pode sofre de hipertensão arterial sem saber.

Foto: bancodasaude / reprodução

Por ser uma doença crônica silenciosa, muitas vezes os portadores descobrem apenas quando alguns sintomas aparecem, como por exemplo: dores no peito, dores de cabeça, sensação de tontura, visão turva e cansaço. Existem diversos tratamentos para a hipertensão, desde o uso de medicamentos para o controle da pressão arterial até mudanças de hábitos de vida, entretanto, para o sucesso de qualquer tratamento é fundamental um diagnóstico precoce.

Segundo estudos científicos efetuados no Instituto do Coração (INCOR) em São Paulo, indivíduos adultos sedentários e obesos possuem maior propensão a evoluírem para um quadro de hipertensão em comparação com indivíduos ativos. Um excelente modo de prevenção a hipertensão é a  pratica de atividades físicas regulares, como também uma boa alimentação sem excessos de sal, gorduras e bebidas alcoólicas. Adoção destas medidas de prevenção podem reduzir consideravelmente os riscos da hipertensão, como também a necessidade do uso de medicamentos.

Pratique exercícios físicos, principalmente os aeróbicos (Correr, Nadar, Pedalar, Caminhar, etc.), estes tipos de exercícios são excelentes para melhorar o seu débito cardíaco e controlar a sua pressão arterial. Evite os hábitos e fatores de risco, como tabagismo e consumo exagerado de sal. O consumo ideal de sal segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) é de no máximo de 5 gramas por dia, neste caso eu faço uma pergunta para você, quanto de sal você está consumindo por dia? Se for mais do que 5 gramas  reveja este hábito, existem diversos temperos naturais que podem substituir o uso do sal, como por exemplo o sal do Himalaia que possui em média 50% menos sódio do que o sal industrializado, sendo ele mais benéfico para a saúde.

Ao sinal de qualquer sintoma ou alteração da sua pressão procure imediatamente um médico, consulte com freqüência um cardiologista, este profissional da saúde poderá esclarecer todas as suas duvidas e elaborar um tratamento mais adequado para você. Efetue pelo menos uma aferição da sua pressão a cada 2 meses, esta rotina  pode fazer toda a diferença em sua vida. Caso você tenha alguma dificuldade em fazer este exame, procure o Programa de Atenção à Hipertensão Sistêmica (HAS), em uma Unidade Básica de Saúde mais próxima de você, este programa é oferecido gratuitamente pela Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba para todos os habitantes do município, lá você terá a sua disposição uma equipe multidisciplinar para atender o seu caso. Não faça parte desta estatística dos 300 mil brasileiros que morrem todos os anos por causa da hipertensão, previna-se.

Autor: Welington Jose Gomes Pereira