A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, dentro da temporada de Solo Música, o show do cantor, poeta, compositor, violeiro e repentista Oliveira de Panelas. Há mais de 30 anos ausente dos palcos curitibanos, o artista nordestino fará um espetáculo no dia 10 de abril, às 20 horas. O show remete aos tradicionais repentes que, assim como o cordel, são intimamente ligados à palavra e à contestação.

O convite para que Oliveira de Panelas participasse do Solo Música veio não apenas em função da beleza e importância de seu trabalho, mas da constatação de que é raro haver em Curitiba um recital de um repentista autêntico. Oliveira de Panelas esteve na cidade nos anos 1980, por três vezes, na esteira do LP “O perguntador”, de 1981, que teve boa repercussão no país. Naquele período, o artista veio a Curitiba a convite do jornalista e produtor Aramis Millarch (1943-1992), a quem conheceu quando ambos foram jurados de um festival de TV.

Depois disso, não houve mais oportunidades para que Oliveira de Panelas se apresentasse em Curitiba. “É algo que pode se modificar com este espetáculo, atraindo também outros grandes repentistas como Ivanildo Vila Nova, Moacir Laurentino, Sebastião da Silva, Raimundo Caetano, Rogério Menezes e Geraldo Amâncio”, observa Álvaro Collaço, produtor da série Solo Música.

O repente caracteriza-se pela poesia de improviso e uso de rima e métrica. O folclorista Luís da Câmara Cascudo relacionava o gênero ao canto Amebeu, dos pastores da Grécia Antiga. Mas a relação mais aproximada dos cantadores nordestinos é com os trovadores franceses do período medieval, manifestação artística que floresceu em Portugal no século XII. A primeira forma de improvisar versos no Brasil foi provavelmente a Glosa, em que o poeta fala ou declama versos produzidos na hora, dentro de padrões de rima, métrica e oração poética. Um dos principais glosadores do país foi Gregório de Matos e Guerra (1636-1696). Publicado, o repente torna-se literatura de cordel. Os temas mais frequentes são o amor impossível, a defesa da natureza, o elogio a personalidades que realizaram atos de bravura e a crítica política. Oliveira de Panelas segue essa tradição, mas com um diferencial: é grande cantor, tendo sido chamado, muitas vezes, de “Pavarotti do sertão”. O escritor Ariano Suassuna o descrevia como grande violeiro, grande improvisador “e, ainda por cima, um magistral ator, já que se expressa muito bem com os olhos”.

O repertório do show traz músicas políticas (“Esses discos voadores me preocupam demais” e “Do terceiro milênio para frente”), que defendem a natureza (“Farmácia do futuro”) e de forte espiritualidade (“Amor cósmico”). Oliveira também fará improvisos, declamações e contará pequenas e engraçadas histórias. Ele também cantará uma música inédita, “Ferro e flor”, composta em parceria com um amigo de infância – o compositor, escritor e advogado tributarista José Alexandre Saraiva, que também é natural de Panelas e reside em Curitiba há mais de três décadas.

Cantador desde criança

Oliveira Francisco de Melo nasceu em Panelas, Pernambuco, e foi adotado pela Paraíba, onde reside há 30 anos. Criou seus primeiros versos aos oito anos de idade, estimulado pelos pais Antonio Francisco de Mello Filho e Maria Virtuoza dos Santos. Em 1958, com 12 anos, cantou em público pela primeira vez.

Com 60 anos de carreira, Oliveira coleciona premiações e títulos que lhe conferem a posição de um dos mais importantes poetas repentistas do Brasil. A temática voltada para os problemas sociais do Nordeste, o romantismo com um tom lírico, além do humor e do entretenimento estão registrados em 15 livros, 22 CDs e 11 LPs, gravados individualmente e em dupla. Entre seus diversos e consagrados parceiros musicais destaca-se Otacílio Batista, com quem cantou por 23 anos.

Participante de quase 300 festivais musicais, Oliveira venceu 185 vezes. É dono de uma voz forte e é considerado um renovador da cantoria, pela modernidade dos temas modernos abordados e pela técnica utilizada na arte de fazer versos.

Por quatro vezes, compartilhou o palco com Roberto Carlos e também cantou para personalidades mundiais como Fidel Castro, Mário Soares e o papa João Paulo II. Por três anos, foi o músico das aulas-espetáculo de Ariano Suassuna. Realizou apresentações em Cuba, Equador, Estados Unidos, França e Portugal. Presidiu por 8 anos a Associação de Poetas Repentistas do Brasil, sediada em João Pessoa. Promoveu 11 edições do Encontro Nacional de Poetas Repentistas do Brasil e é membro da União Brasileira de Escritores de Recife (UBE). Desde 2006, integra a Academia de Letras e Artes do Nordeste.

Serviço

Música

Solo Música com Oliveira de Panelas

Local

CAIXA Cultural Curitiba. Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR).

Data

10 de abril de 2018 (terça-feira)

Horário

20h

Ingressos

vendas a partir de 07 de abril (sábado). R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.

Bilheteria

(41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h; e domingo, das 16h às 19h.)

Classificação etária

Não recomendado para menores de 10 anos.

Lotação máxima

125 lugares (2 para cadeirantes)